Governo rompe paradigma e retira o nome de Paulo Freire de plataforma do MEC

Desde 2002 Paulo Freire é considerado o “patrono” da educação no Brasil

O autor e professor Paulo Freire, considerado por muitos o “Patrono da Educação Brasileira” desde 2002, não é mais homenageado em uma plataforma do ministério que reúne informações sobre professores do ensino básico.

O antigo layout da plataforma fazia referência direta ao escritor, sendo chamada de “Plataforma Freire”. Com a rejeição explícita do atual governo ao autor ligado à ideologia socialista, agora a página se chama “Plataforma Capes de Educação Básica”.

Segundo informações do Blog de Jamildo, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) confirmou a mudança com a intenção de substituir o layout anterior.

Segundo o órgão, a ideia é “ampliar sua abrangência e atender a outros programas e ações relacionados à formação de Professores, não contemplados na ferramenta anterior, como as cooperações internacionais e a modalidade de educação a distância”.

Em agosto, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, criticou o mural com o rosto de Paulo Freire localizado no Ministério da Educação.

Através do Twitter, Weintraub publicou a foto do mural com a seguinte legenda: “Não é feio de doer?”. Veja abaixo:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s